Eixos Temáticos

A Educação Ambiental é a ferramenta essencial para se promover o engajamento das sociedades na gestão dos recursos naturais e ambientais. Trata-se de um instrumento que adopta estratégias em função do estado de conservação dos recursos, sobretudo os considerados vitais, por meio do qual o indivíduo e a colectividade constroem valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação da natureza, fundamental à sadia qualidade de vida e sua sustentabilidade.

A nível da Comunidade dos Países da Língua Portuguesa (CPLP), a Educação Ambiental já consta das agendas pública e privada, não obstante de forma desigual e ainda na fase embrionária nalguns países.

Os eventos derivados de desequilíbrio ambiental, provocados sobretudo por acções antrópicas sem precedentes, com consequências que põem em causa a própria vida humana, têm despertado a consciência de todos os actores no sentido de haver uma mudança radical das sociedades, sob pena de se hipotecar não só a sobrevivência das gerações vindouras, mas também da actual, como se pode presenciar pelas destruições causadas por eventos ligados as mudanças climáticas. As estratégias para a conservação dos recursos naturais com base na identificação e delimitação de espaços naturais, estão cada vez mais viradas para a protecção dos recursos naturais necessários à subsistência de populações tradicionais, respeitando e valorizando o seu conhecimento e a sua cultura e promovendo-as social e economicamente. Os princípios fundamentais da Educação Ambiental direccionada para uma boa gestão dessas unidades de conservação devem estar assentes em mecanismos que assegurem a participação efectiva das populações locais na criação, implantação e gestão dessas unidades de conservação.

A Educação Ambiental, como Ferramenta-Chave para a Sustentabilidade agrega as diferentes preocupações dentro da lusofonia e que será gerador de todos os eixos temáticos a serem discutidos no Congresso de Maputo, dando seguimento ao trabalho desenvolvidos nos congressos anteriores.

Eixo Temático 1 - Educação Ambiental nas Políticas Públicas

Considerada como mola propulsora das políticas das Nações, o desenvolvimento ainda permanece como uma das prioridades nas sociedades. Contudo, há muito se discute as diferentes interpretações desenvolvimentistas, inclusive com abordagem ecológica, ambiental, verde ou descarbonizada. Com a advento da proposição da ONU, sobre os objetivos do desenvolvimento sustentável, cresce cada vez mais a necessidade de se pautar a educação ambiental nas proposições de desenvolvimento, concordando ou não com as proposições do milênio. É emergente pautar uma Educação Ambiental com cuidado ético, justiça e equidade que consigam diminuir o abismo social e aumentar a proteção ecológica.

Eixo Temático 2 - Educação Ambiental e Cidadania

A educação ainda se configura como um projeto para um futuro melhor, tanto em nível de aspiração pessoal como para aprender a viver nos limites biofísicos da Terra. Sem a necessidade de oferecer uma utilidade à educação, a escola tem lugar destacado no âmbito das esperanças de um horizonte justo, que consiga trazer projetos humanos intrinsecamente conectados à natureza. Entre estudos de formação e do cotidiano de aprendizagem, a escola também é local de construção da cidadania, tanto em seu âmbito interno como na sociedade global. Neste contexto, a Educação Ambiental escolarizada, comunitária, empresarial, difusa ou popular, tem a responsabilidade de contribuir com a formação da cidadania.

Eixo Temático 3 - Educação Ambiental, Limites Planetários e Desafios Globais

Na atual proposta da nova era geológica, o Antropoceno, é responsabilidade da educação ambiental explicitar os colapsos climáticos que ameaçam a Terra, com os desastres cada vez mais frequentes e cada vez mais intensificados pela ação humana. Das predições alarmantes dos cientistas ao negacionismo que cresce a cada dia, será necessário um apelo emergente e eloquente para “mudar o sistema e não o clima”, por meio de intensos processos de formação, divulgação, pesquisas, estudos e meios de prevenção e enfrentamento contra as consequências dramáticas da queima global. É de igual responsabilidade considerar que mesmo frente ao caos, a Educação Ambiental possa permitir o nosso esperançar pela vida digna.

Eixo Temático 4 - Educação Ambiental e Diversidades

A Educação Ambiental é política e requer os princípios de justiça, ética, coletivo e inclusão das diversidades e das diferentes identidades de grupos sociais diversos; de todas as raças, grupos étnicos, comunidades tradicionais, ou povos da floresta, em especial aqueles grupos em situação de vulnerabilidade. Mas ultrapassando um contexto antropocêntrico, este eixo quer implicar a biodiversidade e os ambientes naturais. Queremos debater uma Educação Ambiental que expresse a importância de vidas e não vidas; de humanos e não humanos; e da possibilidade da coexistência frente aos desafios das violações de Direitos Humanos e da Terra.